Conheça a cidade

//Conheça a cidade
Conheça a cidade 2019-11-27T13:41:48+00:00
Dados Socioeconômicos do Município de João Alfredo/PE
Gentilico João-alfredense
Área de Unidade Territorial 133.524 km²
População Estimada 33.563 Habitantes
Indice de Desenvolvimento Humano Municipal – IDHM 0,576
PIB per capita R$ 6.643,40
Fonte: Wikipédia/IBGE

João Alfredo é um município brasileiro do estado de Pernambuco, localizado no Agreste setentrional do estado. João Alfredo, caracteriza-se por ter uma das maiores feiras livres dessa região, além de ser também o polo moveleiro. O município é composto também pelos povoados de Tamanduá, Frei Damião, Brejinhos, Antas, Campos do Borba, Lagoa Funda, Parari, Pau Santo, Melancia, Ribeiro Grande, Capau e Roque.

João Alfredo originou-se de uma fazenda instalada na localidade do Imbé, nos meados do século XVIII, pelo capitão português Antônio Barbosa da Silva. Anos depois, em virtude da escassez d’água naquela região, o colonizador resolveu transferir a sede da propriedade para o local onde se situa atualmente a nossa cidade, aproveitando o manancial hídrico de uma lagoa existente onde hoje está erguido o Ginásio Poliesportivo Djair Santos.

Em 1779 as famílias Holanda Cavalcanti e Alves do Rêgo adquiriram a posse da propriedade e passaram a chamá-la de “Boa Vista”. Em 1785 construíram um pequeno engenho de tração animal, ao qual deram o mesmo nome da fazenda. Em 1820 a propriedade foi vendida ao Sr. Francisco Antônio, chefe político do Curato de Bom Jardim, que, em 1850 passou o comando para o Sr. João Felipe de Melo, também bonjardinense. Em 1877, com o falecimento do Sr. João Felipe de Melo, o engenho foi adquirido pelo capitão José Francisco Cordeiro de Arruda.

Em 1879 o coronel José Ferreira da Silva, que também era proprietário do Engenho Melancia, adquiriu o engenho Boa Vista, empreendendo grandes benfeitorias no mesmo, transformando a área circunvizinha em um pequeno aglomerado residencial. Em 1900 obteve da municipalidade de Bom Jardim uma licença para a promoção de uma feira-livre semanal e iniciou a construção de uma capela em devoção à Nossa Senhora da Conceição. A primeira feira-livre foi realizada no dia 6 de janeiro de 1901 e a capela foi inaugurada no dia 18 de junho do mesmo ano, com Missa solene celebrada pelo padre João Pacífico Ferreira Freire.

Evolução
Em 1902 mais casas foram construídas e apareceram os primeiros estabelecimentos comerciais. No ano de 1906 foi criada a Sub-Delegacia de Polícia, sendo designado como titular o Sr. José Soares Cordeiro. Em 1909 o engenho e as casas a ele aglomeradas foram considerados oficialmente como Povoado, recebendo o nome de “Boa Vista da Conceição”. Em 1912 foi fundada a primeira escola municipal, sendo indicada a professora Joana Nóbrega de Vasconcelos. Em 1922 foi criada a primeira escola estadual, a cargo da professora Maria Alves Machado. Em 1924 foi nomeada a professora Maria Amélia Cavalcanti, para também atuar na escola estadual.

A agência Postal foi inaugurada no dia 26 de abril de 1926, com o nome de “Santa Luzia”, em virtude de já haver outra localidade no Estado com o nome de “Boa Vista”. O primeiro agente postal foi a Sra. Maria Pereira de Moura. Através da Lei nº 1.944, de 19 de setembro de 1928, o Povoado de Santa Luzia passou a se chamar de “João Alfredo”, por determinação do então governador do Estado, Dr. Estácio Coimbra. No dia 27 de março de 1931, através do ato nº 43, o tenente Alfredo Agostinho, prefeito de Bom Jardim, elevou o Povoado à categoria de Vila e criou o Distrito Judiciário, com sede nesta terra. O primeiro Juiz de Paz foi o Sr. José Procópio Cavalcanti e o oficial do registro civil o Sr. Manoel Ferreira Campos.

Por efeito da Lei Estadual nº 23, de 10 de outubro de 1935, foi criado o Município de João Alfredo, sendo oficialmente instalado no dia 21 de outubro do mesmo ano. Dentre as figuras que mais batalharam para a emancipação política do município, destacaram-se : o deputado estadual Dr .Arsênio Meira de Vasconcellos, Dr. Ângelo de Souza, Dr. Costa Pinto, Dr. Mário Melo, Dr. Antônio Raposo e o Dr. Álvaro Lins e Silva. O major Pedro Olímpio de Vasconcelos Maia foi nomeado interventor do novo Município.

João Alfredo tem uma gastronomia variada, que é composta pelos elementos da cozinha nordestina. Assim como em outras cidades, o período das festas juninas é marcado por suas comidas típicas, como a pamonha, canjica, munguzá;etc. Nos restaurantes que ficam pelas ruas e no interior da cidade, é possível ver a cultura gastronômica afro-brasileira de dar água na boca em muitos, como buchada de bode, dentre outros elementos da nossa culinária afro-descendente. Começando com origens europeias e até mesmo de complementos da América do Sul, nesse caso América Latina, podemos ver elementos típicos do Novo Mundo muito comuns no Brasil, incluindo a salada, o arroz, o feijão a carne bovina, suína, caprina e de muitos outros tipos. Sem falar em restaurantes de comidas mais comuns no oriente, pizzarias e churrascarias.

A cultura diversificada atrai turistas de muitos lugares, principalmente em outubro na festa de emancipação política, a qual comemora-se com o Festival da Cultura e desfiles cívicos das escolas das demais redes e grupos que também é realizado no dia de 7 de setembro. Festas e alegria são comuns com o povo dessa pequena cidade. Como disse uma vez Frei Damião, ele se referiu pela primeira vez a João Alfredo quando disse: “Cidade Feliz”.